Milhões de brasileiros têm problemas com as finanças, os quais se iniciam basicamente por dois motivos: a falta de controle dos gastos e a incapacidade de estabelecer metas e objetivos financeiros.

Ao mesmo tempo, pode parecer difícil saber o que fazer para definir esses objetivos. Organizar seu orçamento é uma forma de garantir que você seja capaz de conquistar seus objetivos e sonhos, e alcançar as suas metas, mas para isso é preciso investir em uma reeducação da sua vida financeira, para utilizar a sua renda de uma forma inteligente. Com um orçamento mal planejado, você não sabe para onde seu dinheiro está indo, e assim, controlar seus gastos pode ser difícil.

Para isso, o autoconhecimento é fundamental, mas esse processo e a organização financeira não são simples, principalmente para aqueles que não estão habituados a praticá-los. Então, se você pretende ter maior conhecimento sobre sua vida financeira, comece fazendo uma análise dos seus hábitos diários, para poder entender quais deles são negativos e quais são positivos. Este é o primeiro passo para que você consiga determinar seus objetivos financeiros.

Conheça seu orçamento

Cada pessoa tem um orçamento com características específicas. Quem atua de maneira autônoma ou é empresário, por exemplo, recebe ganhos distintos de quem trabalha com carteira assinada. Além disso, há as diferenças em relação aos gastos e às preferências. Dependendo de quanto e como você usa seu dinheiro, a escolha das metas financeiras varia de acordo com essa configuração. Portanto, não deixe de avaliar as entradas e saídas do seu orçamento e até de conhecer como os seus recursos são utilizados ao longo do tempo.

Planejamento financeiro

Depois de identificar as características do orçamento, é o momento de estruturar um planejamento financeiro. Pense em como o seu dinheiro é distribuído e comece até a anotar os seus gastos e ganhos. Registrar todas as informações vai ser muito útil na hora de estabelecer quais serão as ações adequadas. Mais que apenas classificar as movimentações, esse planejamento tem que trazer outros elementos. É a hora de definir quais conquistas você deseja ter, em curto, médio e longo prazo. Associe a elas as metas financeiras, que funcionam como o “caminho” para a obtenção dos resultados. Não se esqueça de incluir períodos temporais em todo o planejamento. Defina datas para cada etapa, pois isso gera motivação e ajuda a garantir o melhor desempenho.

Economize

Para cumprir suas metas financeiras, uma das ações mais importantes é poupar. Somente ao guardar uma fração do que você ganha é possível ter dinheiro necessário para realizar novas conquistas. Por isso, o ideal é já iniciar a economia. Com o seu planejamento financeiro, separe uma parte do total. Comece a guardar aos poucos, com uma pequena porcentagem dos seus ganhos. Repita o processo todos os meses e, a cada período, guarde um valor um tanto maior. Quanto mais conseguir juntar, melhor vai ser. Para ter sucesso, não é preciso abrir mão do que gosta ou perder conforto. Mas vale ajustar seu padrão de vida e retirar os gastos supérfluos, de modo a obter bons resultados!

Instituições financeiras

A maneira como você mantém e movimenta o seu dinheiro também tem influência nas metas financeiras. Se gasta mais do que gostaria com taxas e anuidades bancárias, o orçamento se torna difícil de ser administrado. Para lidar com o cenário, o ideal é alterar a sua relação com as instituições financeiras. Os bancos são ligados ao lucro e, por isso, cobram taxas maiores e que nem sempre são justas.

Por outro lado, há a chance de se juntar a uma cooperativa de crédito. Nesse modelo, você tem direito a voto e participa das decisões, além de ser um pouco dono do negócio. Como o interesse está nas pessoas, as taxas são mais leves e as sobras são distribuídas proporcionalmente. Considere se tornar um cooperado em uma instituição com todas as opções de serviço, da conta corrente e dos cartões aos financiamentos e consórcios. Assim, terá todas as ferramentas para alcançar os objetivos.

Invista seu dinheiro

Poupar é importante, mas deixar suas finanças paradas não é a melhor saída. Em um país com inflação, como é o caso do Brasil, você perde parte do seu poder de compra se mantiver o valor parado. Além disso, fazer o montante trabalhar para você é a forma ideal de reforçar as suas metas financeiras. Então, é hora de investir o seu dinheiro. Escolha opções adequadas ao seu perfil, com níveis de risco que variam do baixo ao elevado. A rentabilidade também varia e cresce com os riscos que corre ao aplicar.

Criar uma carteira diversificada potencializa os seus ganhos. Se quiser um desempenho ainda melhor, considere as cooperativas de crédito. As taxas menores são acompanhadas por maiores rendimentos, o que torna as opções ainda mais interessantes. Não é por acaso que a carteira de investimentos do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo passou de 2,8%, em 2015, para 4,9%, em 2018. Ao total, representou R$ 137 bilhões aplicados.

Acompanhe os resultados das metas financeiras

Tão importante quanto definir esses objetivos é conferir se eles têm sido alcançados e qual é a performance do seu dinheiro. Afinal, é acompanhando de perto que você pode saber o que tem dado certo e o que ainda pode melhorar. Quer ver? Imagine que, em um mês, seu orçamento conta com um dinheiro extra. Sem acompanhar o desempenho, o valor é gasto quando, na verdade, poderia ajudar a atingir aquela meta financeira que estava difícil. De modo semelhante, um objetivo já pode ter sido alcançado e você nem se dá conta que já tem o suficiente para fazer uma aquisição desejada.

Por isso, verifique mensalmente o desempenho e fique de olho nas suas metas. Inclusive, use esse momento para revisá-las. Veja o que já não faz sentido e realize as trocas necessárias para conseguir que tudo saia conforme o esperado. As metas financeiras são essenciais para conquistar seus objetivos. Com essas dicas, você pode organizá-las e tem a chance de fazer ainda mais com o seu dinheiro!